Ciência na escola: feira de conhecimentos

Sábado foi dia de feira de arte e ciência em várias escolas da cidade do Rio de Janeiro. Estive em uma delas, acompanhada de minha amiga Jane, prestigiando as apresentações das crianças da família.

A fila de adultos no portão já indicava a afluência maciça de pais, tios, avós e simpatizantes, como era o nosso caso. Cartazes, faixas e balões coloridos indicavam as instalações e experiências. Arte e ciência juntas pela educação.

Logo na entrada, tapetes de grama sintética levavam a bacias de plástico com areia, barro, terra preta, plantas ou água para recriar ambientes naturais, que podiam ser penetrados. Ao longo dos corredores e das salas, outros objetos estranhos como  bólides, relevos espaciais e parangolés estavam por toda parte. Revelavam a maior inspiração da mostra: a obra de Hélio Oiticica,  apreendida nas aulas de artes.

No salão principal, as turmas de segundo ano trabalharam com o tema “‘Vida combina com…” . Os mais crescidinhos, do terceiro ano, convidavam para “Um passeio entre histórias e noções de Astronomia”.

Jane ficou apaixonada pela turminha que explicava quais são os componentes do solo da Lua, manipulando um modelo de isopor e massinha plástica colorida. Outro aluno mostrava imagens das crateras abertas por meteoros no solo lunar e falava com intimidade sobre a camada de poeira que cobre a superfície do satélite natural da terra.

Todos os trabalhos apresentados eram coletivos e as crianças se alternavam nas explicações, recitando as frases que lhes cabiam e cutucando os próximos que deveriam completar o sentido dos textos.

Alunos da quarta série trabalharam com o tema “Entrando no Clima”. Ganhei uma medalha que dizia “você é uma pessoa verde”, porque acertei várias perguntas de um jogo sobre o tempo necessário para degradar plástico, papel, latas de alumínio, filtros de cigarro e outros materiais na natureza.

As turmas de quinta série fizeram um zoom “Do gigantesco ao microscópico”, com direito a modelos de astros e toda uma escala de objetos e seres, só visíveis com lupa ou microscópio.

Ao longo da exposição, fui me lembrando de um texto de Edgard Roquette-Pinto, que li em O Pequeno Cientista Amador. Dizia assim:

“…os métodos de ensino são anacrônicos, atrasados, rudimentares e incompletos, incapazes de formar cidadãos dignos da época, eficientes e fortes, em condições de lutar vantajosamente com as dificuldades da vida moderna, em que, pelo formidável impulso do progresso, o conhecimento da natureza é questão fundamental.”

Conhecido por ter participado do grupo que introduziu o rádio no Brasil, Roquette-Pinto era antropólogo, educador e divulgador da ciência. Trabalhou com museus, rádio e cinema educativo. O texto citado foi extraído de um artigo de seu livro Seixos Rolados, publicado em 1927, com o título A História Natural do Pequeninos. Nele, Roquette-Pinto sugere que os professores proporcionem a seus alunos o contato com a natureza. E recomenda:

“O primeiro passo valioso deve ser dado familiarizando a criança com o meio. Que contra-senso falar aos pequenos de um elefante antes de lhes mostrar as diferenças e semelhanças existentes entre um cão e um gato!”

Creio que Roquette-Pinto teria aprovado as feiras de artes e ciências das escolas cariocas. E teria ficado feliz se elas fossem mais abundantes e frequentes, em todo o país.

Anúncios

2 Responses to Ciência na escola: feira de conhecimentos

  1. […] Ciência na escola: feira de conhecimentos « Amiga Jane amigajane.wordpress.com/2009/10/28/ciencia-na-escola-feira-de-conhecimentos – view page – cached Sábado foi dia de feira de arte e ciência em várias escolas da cidade do Rio de Janeiro. Estive em uma delas, acompanhada de minha amiga Jane, prestigiando as apresentações das crianças da… (Read more)Sábado foi dia de feira de arte e ciência em várias escolas da cidade do Rio de Janeiro. Estive em uma delas, acompanhada de minha amiga Jane, prestigiando as apresentações das crianças da família. (Read less) — From the page […]

  2. Alessandra disse:

    Caramba, deve ter sido “massa” como diz o filho de uma amiga! Esse ano não vi nenhuma feira. Perdi até a da UFF que foi no domingo passado!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: